China: Com vitória fora de casa, Rossi estreia no futebol chinês um dia após viagem de 23 horas

Revelado pela Ponte Preta, o atacante trocou a Chapecoense pelo clube da China com o Campeonato Brasileiro em andamento

China: Com vitória fora de casa, Rossi estreia no futebol chinês um dia após viagem de 23 horas
Ex-atacante da Chapecoense, Rossi mau chegou a China e já fez sua estreia pelo Shenzhen - Crédito: Divulgação

Da Redação
Shenzhen, CHI, 17 de julho de 2017

Na última quarta-feira, 12, o atacante Rossi estava em Recife (PE), local onde a Chapecoense enfrentou um dia depois o Sport Recife. O então camisa 7 da Chapecoense acabou não participando do duelo, pois acertou sua transferência para o Shenzhen FC, da China. De Recife, Rossi partiu diretamente para o continente asiático. No total, o atacante encarou uma maratona de 23 horas de viagem até chegar na China.

Um dia depois de atravessar o mundo, o ex-atacante da Chapecoense já estava em campo para estrear pelo Shenzen em confronto, fora de casa, contra o Baoding Yingli Yitong. Mesmo desgastado e sem entrosamento, Rossi aceitou o desafio e teve participação decisiva no sucesso da sua nova equipe por 3×0. O camisa 7 serviu companheiro, que concluiu na trave e participou da jogada de um dos gols dos visitantes.

Com a vitória, o Shenzen chegou aos 33 pontos na terceira colocação da segunda divisão do Campeonato Chinês. Faltam 12 rodadas para o término da competição e o Shenzen está três pontos atrás do Beijing Renhe, vice-líder. Vale ressaltar que os dois primeiros colocados garantem vaga na CSL (elite do futebol chinês). Apesar do pouco tempo, Rossi comemora o início positivo no seu primeiro desafio no futebol do exterior.

“Os dirigentes do Shenzen não mediram esforços para acelerar minha viagem, regularização e todo o trâmite. Por isso, não poderia deixá-los na mão. Foi um ótimo começo, com uma vitória fora de casa e que mantém o time mais vivo do que nunca na briga pelo acesso. Estou muito contente”, admitiu o jogador revelado na Ponte Preta.

Rossi lembrou da infância e do começo de carreira para superar as adversidades na estreia. “Sou natural da cidade de Prainha, no interior do Pará. Se cheguei onde estou hoje foi com muita luta. Lógico que não foi fácil entrar em campo um dia depois de viajar 23 horas, ainda mais jogando os 90 minutos num calor de 33 graus. Mas, lembrei de tudo que já passei e fiz questão de fazer o meu melhor e deixar uma boa impressão”, ressaltou o atacante de 24 anos.

Recomendadas