Libertadores: Borja supera Arce e se torna o maior artilheiro gringo do Palmeiras na competição

Com os três gols marcados no Junior Barranquilla, da Colômbia, na última quarta-feira, em casa, o colombiano virou o vice-artilheiro da Libertadores, com seis gols, dois a menos que Morelo, do Santa Fé-COL. E no Palmeiras tem 6, contra 5 de Arce

Libertadores: Borja supera Arce e se torna o maior artilheiro gringo do Palmeiras na competição
Borja é o terceiro artilheiro do futebol brasileiro, com14 gols. Artur, do Ceará, tem 17, e Neílton, do Vitória, 15Crédito: Cesar Greco / Agência Palmeiras

Da Redação
São Paulo, SP, 17 de maio de 2018

O atacante colombiano Miguel Borja marcou todos os gols na vitória do Palmeiras por 3 a 1 em cima do Junior Barranquilla, na última quarta-feira (16/5), em casa, pela Libertadores, e soma agora seis bolas nas redes pelo torneio. Todos em 2018! E esses número fazem do atleta o maior artilheiro estrangeiro do Verdão na história do principal torneio sul-americano, à frente do paraguaio Arce, com cinco.

Mas ser o maior artilheiro estrangeiro do Palmeiras na Libertadores ainda é pouco. De quebra, o atual camisa 9 do Verdão chegou à vice-artilharia da competição em 2018, atrás apenas de Morelo, do Santa Fé-COL, com oito gols.

A fase artilheira de Borja na Libertadores reforça o poder ofensivo do Palmeiras ao longo de sua trajetória na competição. Campeão em 1999, o Alviverde já contou com quatro artilheiros no mais importante torneio das Américas: Tupãzinho (1968, com 11 gols), Lopes (em 2001, com nove gols), Marcinho e Washington (ambos em 2006, com cinco gols cada um).

Outro fator curioso que veio na vitória diante do Junior Barranquilla também marcou a carreira do atacante. Antes de entrar em campo para enfrentar o time colombiano, o Palmeiras contabilizava 298 gols na Libertadores, desde 1961. Com os três gols, portanto, Borja  anotou o 300º gol na competição e, de quebra, o 301º. Aliás, o Verdão é o time brasileiro que mais balançou as redes na história da competição.

Vale lembrar que foi apenas a segunda vez na história da Libertadores em que um jogador do Palmeiras marca três vezes na mesma partida. A outra vez foi em 2001, quando Lopes marcou os três no empate por 3 a 3 com o Cruzeiro. Curiosamente, naquela ocasião, o atacante também alcançou marca emblemática: marcou o gol 200 do Verdão na Libertadores (e o 201 também).

Borja alcançou a marca de 24 gols com a camisa do Palmeiras em 65 jogos. O colombiano chegou após se destacar com a camisa do Atlético Nacional-COL (campeão da Libertadores em 2016), onde foi eleito o Rei das Américas (prêmio concedido ao melhor jogador do continente). O camisa 9 é figura constante na seleção de seu país e deve disputar a Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

No estádio Palestra Itália foi a primeira vez que um jogador marcou três gols em uma única partida desde Obina, em 2009, nos 4 a 0 contra o Goiás, pelo Brasileirão. Já Borja também fez três gols, pela primeira vez na história do Allianz Parque, considerando a atual configuração do estádio, a partir de 2014.

Terceiro maior artilheiro do Brasil

Com os três gols marcados na quarta-feira, na Libertadores, Borja chegou a 14 gols na temporada, números que fazem do jogador o terceiro maior artilheiro do Brasil. Se considerados os gols de jogadores dos clubes que disputam a Série A do Campeonato Brasileiro, válidos por quaisquer competições nesta temporada, apenas Artur, do Ceará (com 17), e Neílton, do Vitória (15), estão à frente do colombiano.

 

 

Fonte: assessoria de imprensa do Palmeiras

 

Recomendadas