Opinião: O fim do gol qualificado na Copa do Brasil

Colunista aponta que medida adotada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) deixou a disputa mais justa, e pede para que a Conmebol siga o exemplo

Coluna Esporte na Rede, por Leandro Martins
São Caetano do Sul, SP, 06 de fevereiro de 2018

Finalmente! A regra ridícula do gol qualificado na Copa do Brasil não vai ser aplicada na edição deste ano. A CBF foi pressionada pelos clubes, que já não concordavam mais com essa situação estapafúrdia.

O gol qualificado (ou a regra do gol fora, como queira) surgiu com a intenção de fazer os times visitantes serem mais ofensivos e não apenas ficarem se encolhendo na casa dos adversários. A ideia era provocar mais gols na competição. E mais emoção. Quem marcava na casa do rival, tinha um bônus. Em caso de mesmo saldo de gols entre os times nas duas partidas do mata-mata, avançava quem tinha marcado mais gols fora de casa.

No entanto, o tiro saiu pela culatra e causou efeito contrário. Os times da casa, mesmo diante de seus torcedores, ficavam mais fechados, receosos de levarem um gol. A estratégia era ganhar de um a zero. E já estava de bom tamanho.

A meu ver, além de injusta, a regra ainda provocava inúmeras exceções na competição. Por exemplo, caso dois times do mesmo estado se enfrentassem, o gol fora não tinha valor. O mesmo acontecia na final, quaisquer que fossem os times que disputassem o título! Sinal de que a CBF sabia que essa regra era ruim!

Qual o sentido de não ter a regra num confronto de times do mesmo estado? Ou em um clássico, por exemplo? Não tem um valor significativo o Palmeiras marcar um gol na Arena Corinthians repleta de corintianos? Ou o Corinthians marcar um gol no Morumbi, repleto de são-paulinos? Claro que tem! E muito! Não havia qualquer justificativa plausível para não aplicar o gol qualificado em clássicos caseiros! Pior ainda era não ter na final!

Agora, tudo fica mais simples. Partidas de ida e volta. O saldo de gols permanecendo igual na soma dos confrontos, a decisão será nos pênaltis! Não há exceções! A regra é a mesma para todos os times e todos os duelos! Muito mais justo!

A Conmebol poderia tomar isso como exemplo e determinar o fim do gol qualificado na Copa Libertadores. A regra é aplicada até a semifinal. Na final, não! Uma bizarrice sem tamanho! Não sei como os europeus ainda não aboliram essa aberração das principais competições como as copas nacionais, a Champions League e a Europa League. Atitude acertada da CBF. Tomara que permaneça para os anos seguintes. Um abraço e até a próxima.