Rússia 2018: Campeão mundial, Griezmann ressalta união do elenco francês e conquista histórica

Com o triunfo por 4 a 2 sobre a Croácia neste domingo, 15, em Moscou (RUS), os Blues conquistaram o seu segundo título de Copa do Mundo

Rússia 2018: Campeão mundial, Griezmann ressalta união do elenco francês e conquista histórica
Griezmann comemora com Mbappé um de seus gols marcados na Copa do Mundo - Crédito: Richard Loyant / FFF.fr

Antônio Boaventura
Moscou, RUS, 15 de julho de 2018

As cores do futebol mundial passam a ser a partir deste domingo, 15, azul, branco e vermelho. Isso por que a França conquistou seu segundo título mundial diante da Croácia na decisão da Copa do Mundo da Rússia. O atacante Antonie Griezmann, atleta do Atlético de Madrid (ESP), destacou a união do elenco francês como principal virtude da histórica conquista dos Blues em solo russo.

“Ainda não percebi o que é. Estou muito orgulhoso desse time. Os jogadores e a equipe, a equipe técnica e a equipe médica. Éramos realmente um grupo unido. Fizemos algo incrível, fizemos história e vamos aproveitar. Vamos ver nossas famílias e vamos festejar. Na França será o mesmo, vamos festejar com os franceses”, explicou o atacante Antonie Griezmann.

Os gols da vitória francesa por 4 a 2 foram marcados por Mário Mandzucic, contra, Antonie Griezmann, Paul Pogba e Kylian Mbappé para a França, enquanto Ivan Perisic e Mário Mandzucic balançaram as redes do goleiro Hugo Lloris. Antes, os Blues haviam conquistado o título mundial em 1998 na edição da Copa do Mundo realizada no país que tem a cidade de Paris como sua capital.

“Então, é claro que a pergunta a ser feita é sempre: a França é uma bela campeã? Bem, somos campeões mundiais e a França estará no topo do mundo nos próximos quatro anos. É isso que precisa ser lembrado. Há imperfeições e hoje não fizemos tudo certo, mas temos as qualidades mentais e psicológicas que foram decisivas para esta Copa do Mundo”, disse o técnico francês Didier Deschamps.

Já Deschamps, campeão como atleta em 98, entrou para o seleto hall de profissionais que conseguiram ser campeões do Mundo como jogador e técnico. Antes, somente o brasileiro Mário Jorge Lobo Zagallo (1958, 1962 e 1970) e o alemão Franz Beckenbauer (1974 e 1990) ostentavam esta condição. Entretanto, ele preferiu destacar a importância desta conquista para o jovem elenco francês.

“Eu tinha um grupo muito jovem, 14 deles estavam em uma jornada de descoberta na Copa do Mundo. Mas a qualidade estava lá. Minha maior fonte de orgulho com esse grupo é que eles conseguiram ter o estado de espírito certo para tal torneio. Eu repito o tempo todo: nunca desista, nunca desista de nada”, concluiu.

Recomendadas