BUSCAR NOTÍCIA

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_

Sul-Americana: Destaque da base, Lucas Mineiro é uma das armas da Chapecoense contra o Flamengo

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

Da Redação
Chapecó, SC, 19 de setembro de 2018

Lucas Mineiro vive o melhor momento da curta carreira como jogador profissional. O volante tem sido um dos destaque do meio campo da Chapecoense. Lucas da Silva Izidoro foi de nem relacionado a titular em apenas quatro meses. Revelado na Base verde e branca, com apenas 21 anos, o camisa 25 viveu dias fantásticos ao realizar o sonho de conhecer a Europa e jogar contra grandes equipes mundias como Barcelona e Roma.

Lucas chegou na Chape para compor a categoria sub-20. Cezar Dal Piva, diretor das Categorias de Base, conta que o departamento tem evoluído muito e Lucas é mais uma prova disso. “Ele sempre foi destaque nas competições que jogou na base, tínhamos a certeza de que ele iria vingar”, afirma o diretor.

O garoto prontamente correspondeu às expectativas e vem se firmando cada vez mais como peça importante do time principal do Verdão. A estreia pela equipe principal aconteceu ainda em abril de 2016, contra o Criciúma pelo Catarinense. Ainda no ano passado, atuou contra o Grêmio e Ponte Preta pelo Brasileiro.

Depois de Grolli, Fabiano, Hyoran e Shaylon a Base verde e branca coloca mais um atleta em destaque no profissional. “Só tenho que agradecer ao Clube, a todo o departamento de Base, todos os funcionários, me deram todo o suporte e condições necessárias para eu evoluir e chegar ao profissional em boas condições. Torço para que a base consiga revelar muitos outros atletas.”

Em março, quando fora escrito para a Libertadores da América, em entrevista para o próprio Clube, o garoto revelou que sonhava em conhecer a Europa. Cinco meses mais tarde, foi muito além, jogou contra Barcelona e Roma. Marcou astros da bola como Messi e Suárez. Sonhou e realizou!

Ao falar da experiência internacional, Lucas Mineiro se diz maravilhado. “Às vezes Deus faz coisas que a gente nem imagina. A gente pede algumas coisas nas orações, mas aí ele vai lá e nos surpreende. Foi uma experiência maravilhosa, conhecer como que são as coisas lá fora. Também pude perceber a inteligência deles taticamente, de movimentação em campo e jogo em conjunto, foi algo extraordinário”, afirma emocionado.

A fase de categorias de base nunca é fácil. O volante da Chape saiu de casa – em Belo Horizonte – aos 15 anos para jogar pelo Atlético-PR e a saudade foi um dos fortes oponentes que ele enfrentou. “Foi um grande baque ficar longe da família, eles sempre me deram apoio total, mas com o tempo fui acostumando. Eles sempre esperaram muito de mim, acreditaram no meu potencial. Então nesse momento só tenho que agradecer por tudo o que fizeram. Eles têm grande responsabilidade por esse momento”, comenta.

No restante do ano o camisa 25, defendeu a Chape nos compromissos da Base. Em março de 2017, com a braçadeira de capitão, comandou a equipe na conquista do Catarinense Sub-20, pela primeira vez na história do Clube. A grande oportunidade chegou em junho desse ano, contra o próprio Flamengo, só que pelo Brasileiro. De lá para cá, dos 15 jogos da Chape na competição, Lucas jogou 11, nove como titular.

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_