BUSCAR NOTÍCIA

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_

Sul-Americana: Em busca de um técnico, Brigatti comanda a Ponte Preta contra o Sport Recife

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

Da Redação
Campinas, SP, 19 de setembro de 2018

Após a derrota no último sábado, 16, o técnico Gilson Kleina não é mais o técnico da Ponte Preta. Depois do apito final, o diretor de futebol Hélio Kazuo e o gerente de futebol Gustavo Bueno comunicaram oficialmente em coletiva a saída do treinador. “Nós entendemos em reunião, logo após o fim do jogo, em consenso com a diretoria e a presidência, que seria necessário fazer a troca e já conversamos com o Gilson”, diz Bueno.

Ele ressalta que a equipe não pensou em outro nome no momento e o comando será assumido interinamente por João Brigatti, que já comandou a equipe como interino anteriormente, “Não pensamos nem articulamos nenhum nome, até porque a saída é em detrimento de resultado. Quem estava no dia a dia viu a entrega do Gilson, o comprometimento e o trabalho dele, que é um profissional sério e dedicado, contudo infelizmente os resultados não vieram.”

Bueno acrescenta que é difícil analisar os porquês dos resultados não terem vindo nos últimos jogos. “Nós revertemos o placar contra o São Paulo após estarmos perdendo por 2 a 0 no primeiro tempo, em Recife fomos abaixo da média e perdemos hoje. Quando resultados não vem, é preciso oxigenar com a troca do comando, mas não faltou luta, vontade, brio hoje. O resultado não veio e se o Atlético (GO) tivesse jogado os outros jogos como jogou hoje não estaria em último lugar” acredita.

O gerente de futebol não fala em nenhum nome para assumir o comando e ressalta que o momento é de agir com calma e certeza. “Nossa intenção não era a troca, por isso primeiro precisamos digerir a situação e a partir de agora trabalhar nome, ver quem está no mercado, quem se encaixa no perfil. Temos um jogo difícil na quarta, no qual é possível vencer por 2 a 0 e reverter a situação para conquistar a vaga, mas neste jogo acredito que o Brigatti comandará. É difícil chegar alguém a tempo para a partida da Copa Sul-Americana.”

Bueno conclui dizendo que a responsabilidade da situação atual não é só do técnico, mas também dos jogadores, do departamento de futebol, da diretoria e da presidência. “Neste sentido vamos focar em apoiar e tentar resgatar o elenco, há jogadores que tiveram uma queda e sabemos que podem mais. Precisamos ressaltar também que neste campeonato até agora não entramos na zona da degola, então agora é muito trabalho para voltarmos a vencer e conseguirmos nos recuperar.”

Nas duas passagens pela Ponte, Gilson Kleina comandou a equipe por 152 jogos, obtendo 61 Vitória e 40 empates. No total, o treinador teve 48,9% de aproveitamento. Neste último período como comandante foram 37 jogos, sendo 13 vitórias, dez empates e 14 derrotas.

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_