BUSCAR NOTÍCIA

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_

Copa SP: Para Gean Oliveira, ex-Flamengo (SP), os detalhes podem definir o resultado do clássico

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

Antônio Boaventura
Guarulhos, SP, 06 de janeiro de 2018

Antes da bola rolar no clássico entre AD Guarulhos e Flamengo, logo mais, ás 14h, o Diário da Bola ouviu os protagonistas do inédito clássico realizado na edição anterior da Copa São Paulo. Autor do gol de honra do Corvo naquele confronto que terminou com a vitória por 2 a 1 do Índio guarulhense, o atacante Gean Oliveira utilizou a velha máxima futebolística para expressar o que foi aquele duelo e projetar o deste sábado, 06. Ou seja, o detalhe decide.

“Vai ser um jogão, já tive a oportunidade de jogar esse clássico ano passado pelo meu ex-clube e tive a felicidade de marca pela minha equipe, que naquela ocasião era o Flamengo (SP). Será um jogo de detalhes, até por que são dois times que tem jogadores qualificados, e o time que errar menos vai sair vitorioso”, explicou o atacante Gean Oliveira, atualmente na equipe Sub-20 do Juventus.

Além de projetar o que pode acontecer dentro das quatro linhas e a expectativa da cidade por este confronto, Oliveira também acredita que o fator torcida pode influenciar o desempenho de ambas as equipes em campo. Ele classificou a persistência e dedicação como principais aspectos do Corvo para este confronto.

“A torcida pode ajudar bastante os dois lados, mas a espera é de um grande clássico, digamos que seja uns dos jogas mais esperados da cidade. O time do Flamengo (SP) é um time raçudo que briga pela vitória até o apito final do jogo, com muitas qualidades no seu elenco que vai dar trabalho para o time adversário! Pode ter certeza que vai ser um grande clássico”, descreveu Oliveira.

Por fim, Gean Oliveira afirmou que não conseguiu conter a emoção ao marcar o gol flamenguista e, principalmente por contar com a presença de seus familiares naquela ocasião no estádio Municipal Antônio Soares de Oliveira. “Passou varias coisas. Foi uma felicidade enorme. Meus pais estavam na arquibancada e a sensação é inexplicável. A gente trabalha firme para poder estar pronto na hora do jogo. Trabalhamos muito pra fazer acontecer e no jogo não foi diferente”, concluiu.

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_