BUSCAR NOTÍCIA

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_

Opinião: Com elenco farto e invicto, Roger Machado promove entre os jogadores o rodízio europeu

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

Coluna Medalha de Ouro, por Antônio Boaventura
São Paulo, SP, 12 de fevereiro de 2018

A desconfiança e o receio são aspectos que cercam qualquer início de trabalho em qualquer que seja a função desempenhada nos preâmbulos do nosso futebol brasileiro. E com aqueles que são destinados para ocupar o cargo de técnico em qualquer equipe não é diferente. Mas, para Roger Machado a missão de comandar o “poderoso” e “valioso” elenco do Palmeiras não parece lhe assustar muito.

Á ele foi dada a missão de controlar o ego e a vaidade de muitos nomes de destaque do atual futebol brasileiro como o meia Lucas Lima, que chegou do Santos, o volante Felipe Melo, contratado para temporada anterior, mas que teve um forte atrito com o técnico Cuca e por isso pouco jogou, os goleiros Fernando Prass e Wevérton, este campeão Olímpico com a Seleção Brasileira nos Jogos Rio 2016, além de destaques como o atacante Dudu e fazer o colombiano Miguel Borja se encontrar no Alviverde paulista.

Para não ter graves e grandes problemas com o recheado elenco palmeirense, Machado encontrou no rodízio do elenco neste começo de temporada a chave para satisfazer os atletas. Formato este que é bastante utilizado, em especial, pelos grandes clubes europeus como Real Madrid (ESP), Barcelona (ESP), Bayern de Munique (ALE), Paris San German (FRA), Juventus (ITA), enfim, joga aquele atleta que estiver em melhor condição física e técnica naquele momento.

Entretanto, a diferença entre o que fazem os europeus e o Palmeiras, de Roger Machado, é que o técnico brasileiro procura encontrar a melhor formação para a sequência dos compromissos que o Verdão terá pela frente neste ano. Já os gigantes do Velho Continente, que estão na reta final da temporada, procuram mesclar as opções que possuem em seus respectivos elencos nas mais variadas competições que disputam.

Mas, a cultura do nosso futebol prega que independente do retrospecto e dos bons resultados alcançados em um determinado período, uma derrota pode provocar um lapso de memória relacionado ao que já foi realizado e colocar um ponto final em tudo que foi conquistado. Seguro e com o apoio de torcida e dirigentes, Roger Machado continua firme e forte e com 100% de aprovação. Foram seis vitórias em seis jogos até aqui.

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_