BUSCAR NOTÍCIA

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_

Série A1: Com a camisa do Flamengo, Cuéllar comenta busca por vaga na Copa pela Colômbia

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

Da Redação
Rio de Janeiro, RJ, 15 de fevereiro de 2018

Conquistada a classificação para a decisão da Taça Guanabara, mediante vitória por 3 a 1 sobre o Botafogo, dois dias de folga para os atletas precederam a retomada das atividades no CT George Helal, em Vargem Grande. Na volta às atividades, o foco rubro-negro é um só: o confronto diante do Boavista na final do primeiro turno do Campeonato Estadual.

“É importante estar na final, como disputar qualquer título pelo Flamengo. Enfrentaremos um grande time, que certamente irá dificultar o que nós tentarmos fazer. Será fundamental começarmos o ano ganhando um título”, analisou o camisa 8 rubro-negro.

Apesar de viver grande fase, Cuéllar desfalcará o Mais Querido na estreia pela Conmebol Libertadores Bridgestone, contra o River Plate-ARG, e na partida seguinte diante do Emelec-EQU. Suspenso na final da Conmebol Sul-Americana do ano passado, o colombiano lamenta a ausência no início da campanha na atual edição.

“Será difícil ficar fora dos dois primeiros jogos. Infelizmente cometi um erro, que com certeza não voltarei a cometer. Acho que o professor está procurando opções, engrenando o time para que quando saia eu ou qualquer outro jogador, seja a mesma coisa. É isso que ele está procurando”, analisou, elogiando seus prováveis substitutos na função”, completou.

Priorizando a importância do aspecto tático da posição, Paulo César Carpegiani procura armar o time de modo que o funcionamento não dependa especificamente de um ou outro atleta, mas de um conjunto no qual os papéis de cada jogador em campo sejam desempenhados com eficiência. O volante explicou o que o comandante rubro-negro prioriza durante as atividades, especialmente na posição.

“Ele pede que organizemos o jogo a partir da parte de trás, o que é normal para nós que jogamos nessa posição. Todos sabem fazer muito bem. Tambèm temos que estar sempre de ponto de apoio para iniciar as jogadas. Se começar de um lado, virar o jogo rapidamente e começar do outro. É o que o professor enfatiza”, afirmou.

Em meados de 2018, será disputada a Copa do Mundo na Rússia. Buscando uma vaga na seleção colombiana, o camisa 8 enfatiza seu foco no Rubro-Negro, ressaltando que apenas com bons desempenhos no clube os olhos dos comandantes se voltarão a suas performances no Flamengo.

“Será muito difícil porque na minha posição na seleção há muitos jogadores de qualidade. Acordo todo dia para primeiro trabalhar pelo Flamengo. Ganhar uma vaga aqui com muita humildade, sacrifício e, obviamente, futebol. Se eu jogar bem e me consolide nesse grande time, certamente serei olhado pelos técnicos da seleção. Fico tranquilo e trabalho muito para isso”, concluiu.

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_