BUSCAR NOTÍCIA

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_

Opinião: A convocação de Tite

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest
william jose convocado por tite

Coluna Esporte na Rede, por Leandro Martins
São Caetano do Sul, SP, 13 de março de 2018

Se existe uma coisa sobre a qual nunca se terá consenso, é a convocação para a Seleção Brasileira. Jamais, na história do futebol, uma convocação para vestir a amarelinha foi aceita de forma unânime por imprensa e torcedores. Quem é gestor, sabe. Não é fácil montar um grupo que seja dedicado, cujas pessoas sejam cem por cento agregadoras e engajadas com a proposta coletiva. Gerir uma equipe em qualquer ramo de atividade profissional é tarefa que poucos sabem executar.

O líder precisa ser transparente e mostrar que tem muito conhecimento, capaz de levar o coletivo ao crescimento, às vitórias e conquistas. Tite convocou a Seleção para disputar dois amistosos (sim, AMISTOSOS!!) em março. Contra Rússia e Alemanha. Tite quer embates duros para preparar o grupo, que ainda não é o definitivo.
Tite está longe de ser burro. Pelo contrário. É extremamente inteligente e perspicaz. Costuma olhar nos olhos de seus comandados, com honestidade e transparência. Sabe passar o que quer em campo. Não é Deus, mas é um excelente treinador. As presenças mais questionadas na convocação foram Talisca, Neto, Willian José e Rodrigo Caio. São AMISTOSOS, repito! Tite fará testes para desenhar a convocação final, dos 22 atletas que vão à Copa.

Somente 22. Sim, sobrarão ainda mais uns 30 jogadores de boa qualidade que não irão à Rússia. Impossível agradar a todos. Os testes são válidos. Tite nunca foi um técnico que gostasse de dirigir grandes estrelas e medalhões. Não é preciso ter nome para jogar na Seleção e sim, um futebol que permita a ele o encaixe das peças no esquema que tem em mente. Foi assim que ganhou Brasileiro e Libertadores com o Corinthians. Não tinha grandes estrelas, mas tinha quem executasse exatamente o que ele queria.

Fábio Carille e o Palmeiras da Crefisa mostraram no ano passado que nomes não ganham títulos. Em um futebol altamente físico e tático como o dos tempos atuais, bons esquemas de jogo são mais valiosos do que individualidades. Nisso, concordo com Tite. Um bom esquema faz as individualidades se destacarem. E, acima de tudo, é preciso gana, raça e vontade extra.

Não há mal algum em Tite levar jogadores de sua confiança e que se encaixem em sua proposta de jogo. A imprensa e os torcedores ficam muito melindrados. Quando Paulinho foi para a China, disseram que ficaria longe da seleção. Com a confiança de Tite, foi convocado. Brilhou. Graças a isso, foi para o Barcelona! Imprensa e torcedores queimaram a língua! Podem queimar novamente, não?

Tite e sua comissão técnica de apoio monitoram muitos jogadores no mundo todo. A convocação se baseia em opções, mas também em relatos, números, vídeos, uma série de fatores apreciados na análise de desempenho. Ou você acha que o Tite fica dormindo em casa em vez de trabalhar? Ele ama o que faz! Se os convocados dele vão dar certo ou não, veremos no campo. Ali sim, cabe nossa análise. Me nego a cornetar a convocação. Quero ver jogando primeiro. Depois sim, o espaço para elogios e críticas será dado. Antes, não. Um forte abraço.

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_