BUSCAR NOTÍCIA

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_

Série A: Dedé assusta torcida com choque de cabeça, se recupera e vira herói na vitória do Cruzeiro

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

Da Redação
Belo Horizonte, MG, 13 de maio de 2018

Na vitória do Cruzeiro por 2 a 0, neste domingo pela manhã, no Mineirão, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro, o zagueiro Dedé mais uma vez foi o grande nome do jogo. Porém, antes de se destacar, ainda no ínicio do primeiro tempo, por pouco ele não deixou a partida depois de lance com o companheiro de zaga Léo. Os dois chegaram juntos na bola e Dedé acabou levando um pisão involuntário do seu parceiro.

Dedé deixou o campo de maca, voltou, ficou zonzo, voltou outra vez e continuou na partida. E foi premiado no último lance do primeiro tempo, quando abriu o placar com uma grande cabeçada, assim como havia feito no gol da vitória sobre o Botafogo: 1 a 0 em cima do Sport.

“Fizemos por merecer o resultado, imprimimos ritmo forte no primeiro tempo e suportamos a chegada do adversário. Tive a oportunidade de chegar bem na bola. Sobre o lance com o Léo, foi casual, a intenção dele foi das melhores. Estou bem´´, tranquilizou o defensor.

De Arrascaeta, que marcou o segundo gol da partida, falou das oportunidades criadas pela equipe na partida e lembrou do próximo jogo da Raposa, na quarta-feira, contra o Atlético-PR, válido pela partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

“O time foi muito bem, criou grandes chances de gol, mas precisamos seguir melhorando. Agora vamos descansar porque daqui três dias teremos mais um compromisso importante, desta vez pela Copa do Brasil´´, declarou o camisa 10.

Já para o técnico Mano Menezes o placar foi merecido, porém o primeiro gol saiu depois de muita insistência em cruzamentos. O treinador garantiu que o tento marcado no fim do primeiro tempo deu tranquilidade ao time para construir a vitória no segunda etapa.

“Fizemos bom jogo. Esse é horário bem particular (11 horas). Tivemos a felicidade de fazer o gol no último minuto do primeiro tempo, que nos deu tranquilidade maior. Se não fizéssemos, no segundo tempo, teríamos que imprimir ritmo mais forte. Mas fizemos o gol, porque martelamos, martelamos, martelamos. Exageramos nas bolas cruzadas na área. Precisávamos de trabalhar a bola na frente da área´´, disse o treinador.

Fonte: assessoria de imprensa do Cruzeiro

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_