BUSCAR NOTÍCIA

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_

Série A: O polivalente Pikachu não esconde satisfação após utilizar a faixa de capitão do Vasco

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

Da Redação
Rio de Janeiro, RJ, 1º de junho de 2018

Yago Pikachu está de bem com a vida! A camisa do Vasco virou a grande motivação para entrar em campo e fazer o melhor possível. E por isso o torcedor vem gritando o seu nome. E a situação melhorou ainda mais após marcar o gol da vitória diante do Paraná Clube, em São Januário, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro, que colocou a equipe na 11ª colocação na tabela de classificação, um pouco mais distante da zona do rebaixamento.

O Vasco agora volta a campo no sábado (2/6) para disputar o clássico contra o Botafogo. A reedição da final do Campeonato Carioca, vencida pelo Alvinegro, nas cobranças de pênalti, será disputada em São Januário, casa vascaína. O polivalente Yago Pikachu acredita que o clássico tem tudo para ser movimentado.

“O futebol é engraçado. Se a gente não perde aquele jogo contra o Bahia, nós estaríamos hoje quatro jogos invictos. Esperamos um confronto muito aberto, como foi durante a disputa do Campeonato Carioca, com muitos gols. O adversário vem de derrota e nós iremos entrar em campo motivados pela vitória que tivemos diante do Paraná. Clássico é sempre difícil, bastante equilibrado, mas vamos procurar fazer boa apresentação para dar alegria ao nosso torcedor e sair de campo com os três pontos´´, disse o talentoso paraense.

Não é exagero afirmar que o camisa 22 passa por seu melhor momento em São Januário. Além de ter ultrapassado a marca de 100 jogos e se tornado o maior xodó dos vascaínos, Yago Pikachu lidera o ranking de goleadores do clube em 2018. Na última quarta-feira, porém, o paraense viveu pela primeira vez a experiência de utilizar a braçadeira de capitão do Vasco, o que foi bastante festejado pelo jogador.

“Eu só havia sido capitão uma vez, na minha despedida do Paysandu. O clube fez uma espécie de homenagem para mim. Foi uma surpresa ser o capitão do Vasco. O Zé conversou comigo antes da partida e me explicou o motivo dessa escolha. Ocorre que eu era o jogador em campo que possuía mais tempo de casa, pois o Ramon estava no banco e o Breno estava fora, assim também como o Wagner. Eu fiquei muito feliz com essa oportunidade. Deu tudo certo, graças a Deus. Os meninos até brincaram dizendo que eu poderia seguir com a faixa se continuasse fazendo gol, mas isso não interfere. O importante é estar ajudando em campo´´, afirmou o polivalente jogador.

Fonte: assessoria de imprensa do Vasco

 

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_