BUSCAR NOTÍCIA

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_

Sul-Americana: Sornoza festeja 1º gol olímpico, e Marcelo Oliveira elogia persistência do Fluminense

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

Da Redação
Rio de Janeiro, RJ, 3 de agosto de 2018

Autor de um golaço na vitória do Fluminense por 2 a 0 sobre o Defensor, na noite de quinta-feira (2/8), no Maracanã, no jogo de ida da segunda fase da Copa Sul-Americana, o meia Sornoza estava eufórico. Após marcar pela primeira vez um gol olímpico, o camisa 10 Tricolor comemorou o fato e projetou o jogo de volta no Uruguai.

“Foi um gol muito importante, vinha precisando desse gol. Vi que o goleiro ficava um pouco adiantado, pensei que a bola poderia entrar e graças a Deus, o gol veio. Quase nunca treino gol olímpico, só muitos cruzamentos, mas fui feliz no lance´´, explicou Sornoza.

O equatoriano também falou sobre a forma de jogar do Defensor, que optou por uma tática defensiva muito recuada.

“Sabíamos que seria complicado, que fariam cera para não tomar gol, mas mantemos a gana e buscamos o gol o tempo todo. Chegou no momento certo, quando precisávamos, um gol que nos ajuda muito para a partida de volta, nos dá muito confiança´´, destacou, lembrando do jogo de volta, no qual o Fluminense pode perder por até um gol de diferença e ainda tem a vantagem do gol qualificado fora de casa.

“O resultado positivo nos deixa um pouco mais tranquilo para a partida de volta, mas sabemos que será muito complicado, eles vão sair para o jogo e temos que ser inteligentes e cautelosos´´, disse o camisa 10, que ressaltou ainda o apoio do torcedor no Maracanã.

“Para nós é muito importante, pois estávamos quase sem força no fim da partida, a torcida nos empurrou e conseguimos fazer os gols com o apoio do torcedor´´, concluiu Sornoza.

Marcelo Oliveira enaltece a persistência do Fluminense

O técnico Marcelo Oliveira elogiou o apoio da torcida tricolor no Maracanã e destacou a entrega do time em campo, que não desistiu de buscar o gol mesmo diante da retranca adversária.

“Eles estavam tentando o empate, uma bola parada para levar o jogo para lá e tiveram só uma finalização. Faz parte do futebol, os times uruguaios têm essa característica de marcação forte, mas também têm essa provocação de ficar caindo, nitidamente eles têm essa orientação, e jogam retrancados contra os times brasileiros´´, criticou o treinador.

Apesar da boa vantagem, o comandante do Fluminense afirma que será preciso jogar com inteligência no Uruguai.

“É uma vantagem não definitiva, mas considerável. Nós soubemos ter paciência suficiente para chegar aos gols e, no segundo tempo, melhorou a jogada individual. Além disso, tivemos mais jogadas no lado do campo, no recuo do Sornoza como volante, na chegada de trás, e o Jadson na direita no lugar do Léo. A mudança foi necessária e premiou o time que tentou ganhar, mas não está nada decidido, temos o segundo jogo para tentar a classificação no Uruguai´´, afirmou.

 

 

Fonte: assessoria de imprensa do Fluminense

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_