BUSCAR NOTÍCIA

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_

Copa Paulista: Mercado internacional agita com transferências de atletas formados no Audax

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

Luiz Ademar (Blog do Futebol Caipira)
Osasco, SP, 21 de agosto de 2018

A janela de transferências foi bastante proveitosa para o Osasco Audax. Reconhecido como clube formador por revelar diversos jogadores para o futebol brasileiro, o clube receberá boa quantia por conta de atletas que mudaram de time no futebol do exterior e que fizeram sua formação, mesmo que uma parte dela, vestindo a camisa do clube.

Isso ocorre graças ao Mecanismo de Solidariedade da FIFA, que destina, desde 2010, 5% do valor da transferência aos clubes que participaram da formação do atleta. Esta porcentagem é dividida entre os clubes de acordo com o período em que o jogador terá permanecido nas suas categorias de base entre os 12 e os 23 anos, idade considerada pela entidade máxima do futebol mundial como final da formação.

Funciona assim: dos 12 aos 15 anos, o atleta reverte 0,25% a cada ano, percentual que aumenta para 0,5% dos 16 aos 23 anos, completando os 5% previstos no mecanismo, que existe como uma espécie de incentivo para que os clubes invistam nas categorias de base.

É o caso de Bernardo, lateral esquerdo recém-chegado à Premier League para defender o Brighton e que teve parte de sua formação feita no Audax, onde jogou nas equipes Sub 15 e Sub 17. O atacante Rafael Martins, por sua vez, vestiu a camisa do Audax entre 2011 e 2013, quando completou 24 anos. Ele estava no Vitória de Guimarães (POR) e se transferiu para o Zhejiang Greentown, da China.

Bruno Peres, lateral direito que atualmente defende o São Paulo, tinha 21 anos quando saiu do Audax, onde iniciou a carreira, para o Guarani. Assim como o atacante Vitinho, que acaba de retornar ao futebol brasileiro para vestir a camisa do Flamengo. Ele deu seus primeiros chutes na bola no Audax, onde permaneceu entre 2007 e 2010, ou seja, dos 13 aos 16 anos.

O mais conhecido, porém, é o volante Paulinho, que retornou ao Guangzhou Evergrande após boa passagem pelo Barcelona. O jogador, que tem duas Copas do Mundo no currículo e foi um dos principais jogadores da Seleção, jogou até os 19 anos no Audax.

Para Juninho Fonseca, coordenador das categorias de base do clube, este é o reflexo da forma pela qual o clube trabalha na revelação dos novos valores para o futebol brasileiro e, por consequência, internacional.

“O Audax capacita os atletas da categoria de base para atuarem de acordo com o futebol atual, oferecendo treinamentos táticos e técnicos alinhados ao jogo apoiado, forte marcação e muita velocidade nas ações ofensivas´´, disse Juninho Fonseca.

E assim, com filosofia de trabalho definida desde as categorias de base, o Audax busca capacitar seus profissionais para atenderem às demandas de um futebol cada vez mais competitivo.

 

Fonte: assessoria de imprensa do Audax

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_