BUSCAR NOTÍCIA

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_

Série A: Jean dribla as dificuldades no Palmeiras para seguir correndo atrás do quarto título brasileiro

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest
O jogador Jean, da SE Palmeiras, concede entrevista coletiva, antes do treinamento, na Academia de Futebol.

Da Redação
São Paulo, SP, 7 de novembro de 2018

Depois de ficar afastado dos gramados por conta de grave lesão no joelho direito, ode foi submetido a cirurgia, Jean voltou a figurar entre os relacionados do Palmeiras e virou peça importante no esquema do técnico Luiz Felipe Scolari. Aos 32 anos e com grande experiência no futebol, o jogador admite que o último período longe das quatro linhas foi o pior da carreira, tanto que cogitou pendurar as chuteiras antes do planejado.

“Passa pela cabeça sim (encerrar a carreira). O pessoal me passou que era algo grave, então conversei com a minha esposa para começarmos a preparar o nosso futuro porque seria bem complicado voltar. Mas, felizmente, foi uma vitória muito importante, estou até me sentindo melhor do que muitos momentos antes. Essa dificuldade me fez crescer e comecei a me cuidar mais. Foi um salto, tenho de agradecer a este clube e às pessoas que estiveram comigo durante a recuperação. Estou de volta e, graças a Deus, fisicamente e mentalmente cada vez melhor´´, disse o atleta, que se vê ainda mais fortalecido após os últimos meses.

“O mais importante é que neste ano tínhamos uma meta de 35 a 40 jogos e conseguimos, estive pronto para jogar e à disposição para entrar em campo em 40 jogos. Devido à cirurgia, que foi inédita, o ano foi muito difícil para mim. Eu, particularmente, não sei se é certo ou errado, mas só saio de campo se eu não aguentar mais. Esse é o ponto positivo que conquistamos juntos com a fisioterapia e com o Palmeiras, que hoje é referência na recuperação de atletas. Ficarei mais forte depois de toda essa dificuldade, marcou a minha carreira´´, expôs.

Bastante acionado por Felipão nas recentes partidas do Verdão, Jean mostra muita satisfação com o carinho do treinador.

“Eu fico feliz, a gente demonstra e passa essa confiança de uma forma ou de outra. Eles observam coisas que a gente não percebe. Fico feliz por ser o décimo segundo ou décimo terceiro jogador, quero sempre ajudar. Só tenho de agradecer a confiança dele, da comissão técnica e do Palmeiras. Serei eternamente grato pelo que o Palmeiras fez por mim no momento mais difícil da minha carreira. Não só o Felipão, mas o clube me abraçou, só posso agradecer dentro de campo´´, falou, pedindo cautela com o futuro da equipe no Campeonato Brasileiro.

“Enquanto não lacrar e levantar a taça, não tem nada conquistado. Essa é a realidade hoje, temos de lutar o dobro porque todos torcerão contra a gente para tropeçarmos. Temos de buscar as vitórias. Quando você quer atropelar as coisas, elas não acontecem como têm de acontecer. Esse é o momento do nosso time. Estamos prestes a conquistar um título muito expressivo´´, completou Jean.

O camisa 17, inclusive, pode conquistar o seu quarto troféu do Brasileirão – foi campeão com o São Paulo, em 2008, o Fluminense, em 2012, e o próprio Palmeiras, em 2016.

“Seria muito especial por tudo o que passei, foi o ano mais difícil da minha carreira. Não consigo achar uma palavra que possa expressar esse possível título. Temos um longo caminho ainda para percorrer, mas, com certeza, caso se concretize, será muito especial para a minha vida e para a minha carreira´´, finalizou o volante.

 

Fonte: assessoria de imprensa do Palmeiras

 

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_