BUSCAR NOTÍCIA

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_

Paulistão: Animado com dois gols contra Mirassol, Thalles promete mais pela Ponte diante do Bragantino

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

Da Redação
Campinas, SP, 1º de fevereiro de 2019

Atacante vive de gols e, depois de abrir a porteira e marcar dois na goleada por 3 a 0 contra o Mirassol, na última quarta-feira (30/1), Thalles, o camisa 9 da Ponte Preta, quer balançar a rede de novo o quanto antes, de preferência já neste final de semana contra o Bragantino.

“Quando fiz o segundo gol na quarta-feira fui até o banco agradecer o técnico Mazola e ele disse, alegre, que em vez de eu dizer obrigado ele queria mais. Vai ter mais´´, afirma.

O jogador ressalta que a vitória foi um trabalho de toda a equipe, e um resultado merecido.

“Nos trouxe muita confiança e um pouco de alívio, depois de três jogos em que não conseguíamos fazer gol. Nossa defesa estava bem, mas a bola não estava chegando tanto. Contra o Corinthians cheguei a fazer um gol, achei que não estava impedido, mas foi anulado, Na quarta tinha certeza que ganharíamos pelo nosso esforço e confiança que o Mazola nos passou´´, disse.

A expectativa do atacante agora é que a Ponte continue crescendo, assim como ele próprio.

“É pegar mais ritmo de jogo, o ano começou agora, os jogadores estão se conhecendo, mas estamos melhorando a cada jogo. Eu agora sigo com mais confiança. No Vasco tive oportunidades, mas teria que ter mais sequências e, como lá haviam muitas opções de atacantes, eu ficava muito tempo no banco de reserva, perdia um pouco ritmo. No Japão aprendi mais sobre esquema de jogo, repensei minha carreira. Voltei para fazer gols e botar a Ponte Preta na Série A, que é o lugar dela. Não quero ser aquele Thalles dos bons tempos de Vasco, quero ser um Thalles ainda melhor do que antes´´, avisa.

O jogador também revela que está contando com ajuda dentro e fora de campo para entrar na melhor forma.

“No jogo o Magrão e Giovanni tiveram mais profundidade, estão chegando mais e a bola vem mais para mim, tanto que tive quatro oportunidades. Quanto ao meu peso, é treinamento de manhã e tarde forte, alimentação boa, esse sol todo. E minha mãe e minha namorada têm me ajudado a me alimentar melhor fora daqui, a gente é novo é mora sozinho, então às vezes come um pouco de besteira e minha mãe tem me ajudado a evitar isso cozinhando para mim. Mas também não posso ficar magro demais, porque para enfrentar os zagueiros eu tenho que ter força´´, conclui.

Fonte: assessoria de imprensa da Ponte

 

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_