BUSCAR NOTÍCIA

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_

Brasil 2019: Philippe Coutinho pede cabeça erguida à Seleção Brasileira após empate diante da Venezuela

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest
O meia-atacante Philippe Coutinho lamentou o empate em 0 a 0 da Seleção Brasileira diante da Venezuela - Crédito: Lucas Figueiredo

O meia-atacante Philippe Coutinho lamentou o empate em 0 a 0 da Seleção Brasileira diante da Venezuela – Crédito: Lucas Figueiredo

Da Redação
Salvador, BA, 18 de junho de 2019

Autor de dois gols na estreia diante da Bolívia, o meia Philippe Coutinho não conseguiu repetir a mesma atuação diante da Venezuela, nesta terça-feira (18), na Arena da Fonte Nova, em Salvador (BA). Já o técnico Tite não aprovou o desempenho técnico da Seleção Brasileira no duelo contra os venezuelanos. A equipe Canarinho encerra sua participação na 1ª fase da Copa América diante da seleção do Peru, em São Paulo (SP).

Após a partida, Coutinho destacou a necessidade de reconhecer a atuação abaixo do esperado e de levantar a cabeça, já pensando no próximo jogo, contra o Peru, neste sábado (22), na Arena Corinthians, em São Paulo. “A gente tentou desde o início, foi um jogo difícil. Mas não tem desculpa, hoje não deu. Agora é trabalhar para o próximo jogo”, disse em entrevista na beira do gramado.

E o jogo de sábado tem tudo para ser definitivo para o futuro do Brasil na Copa América. Ao fim da segunda rodada, o Brasil divide a liderança do grupo A com o Peru. As duas seleções têm os mesmo quatro pontos, e a Amarelinha leva vantagem por ter um gol de saldo a mais. Ou seja, com uma vitória simples, o Brasil termina a primeira fase na primeira colocação. De olho neste duelo, Coutinho ressaltou o que considera importante para garantir a vaga.

“A gente sempre tem a pressão de fazer bons jogos, de ter o resultado. Estamos jogando em casa, mas temos que ter a tranquilidade, manter o trabalho e o foco dentro de campo para as coisas fluírem”, projetou.

Contudo, o empate sem gols contra a Venezuela na Arena Fonte Nova não agradou o torcedor nas arquibancadas e nem os jogadores e técnico da Seleção Brasileira, Tite. O Brasil teve controle do jogo, criou situações de gol, fez dois gols corretamente anulados após consulta ao VAR, teve que lidar com a pressão do torcedor e com a ansiedade para buscar uma situação que o garantisse à frente no placar.

Segundo o comandante brasileiro, o revés diante da Venezuela é um aprendizado que a equipe deve encarar como parte do processo de maturidade a se passar dentro da Copa América. “Nós tivemos muito volume de jogo, mas não fomos efetivos. Momentos como o de hoje nos fazem crescer. Não fomos muito criativos. Poderíamos ter finalizado mais. Temos muitas condições de evoluir, melhorar”, explicou Tite

A Seleção Brasileira convocada para a Copa América é pautada no equilíbrio entre a juventude e a experiência. A noite na Arena Fonte Nova serviu para o time ganhar mais maturidade, aprendendo a lidar com as situações adversas que o torneio sul-americano apresenta. O torcedor nas arquibancadas da Fonte Nova apoiou o time na maior parte do tempo, mas também sentiu a falta de gols e o forte jogo defensivo do adversário.

“Nós temos que compreender o comportamento do torcedor. Ele também quer gol tanto quanto nós. É muito compreensível a sua insatisfação. Atleta tem que trabalhar na pressão, saber lidar com isso. Hoje, mesmo com toda vontade de fazer o resultado, a equipe se manteve organizada, não fugiu do seu jeito de jogar. Isso mostra a maturidade da equipe dentro da competição. Precisamos, sim, de um futebol mais vistoso. É a nossa característica e vamos sempre buscar isso”, concluiu.

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_