BUSCAR NOTÍCIA

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_

Covid-19: Com a camisa do River (PI), Felipe Barros comemora 6º ano como profissional

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest
O zagueiro Felipe Barros festeja seu sexto ano como profissional - Crédito: Victor Cista

O zagueiro Felipe Barros festeja seu sexto ano como profissional – Crédito: Victor Cista

Da Redação
Teresina, PI, 24 de abril de 2020

O momento não é o ideal, mas a data é especial e inesquecível para Felipe Barros. Isso porque o zagueiro completa neste domingo (26), seis anos como atleta profissional. A estreia aconteceu no dia 26 de abril de 2014, no Japão. Na época, o jogador defendia o Yokohama FC (JPN). Natural de Recife (PE), o atleta iniciou sua trajetória no Náutico e, logo em seguida, foi para o São Paulo, onde fez toda a sua formação de categoria de base.

No Tricolor Paulista, o defensor ficou até 2013, antes de ir para o Japão e estrear como profissional. “Me sinto muito feliz e realizado em poder trabalhar com o que eu mais gosto de fazer na vida. Jogar futebol sempre foi meu sonho. Não foi fácil chegar até aqui mas, felizmente, depois de muita luta e superação, consegui”, explicou o zagueiro Felipe Barros, revelado nas categorias de base do Náutico.

“Sei que ainda estou construindo a minha história no futebol. Meu foco é um passo de cada vez e muita força para vencer dia a dia. O sonho continua aqui dentro de mim, ainda quero conquistar muita coisa na carreira”, revelou o jogador de 25 anos, que também soma passagens por Farense (POR), Santa Clara (POR), Penapolense, Grêmio Novorizontino, Cascavel e Batatais.

Além do Japão, Felipe atuou em Portugal, antes de retornar ao Brasil em 2017. Atualmente no River do Piauí, o zagueiro, assim como toda a comunidade do futebol, vive a expectativa para o retorno dos jogos. O clube disputa nesta temporada a Copa do Nordeste, o Campeonato Piauiense e a Série D do Brasileirão.

“Temos um calendário agitado de competições e infelizmente essa questão toda do coronavírus está prejudicando. Mas é isso, não adianta querer forçar a volta dos jogos se a situação não estiver boa. Por enquanto é continuar em casa, com paciência, e trabalhando a parte física por conta própria mesmo, até as coisas voltarem ao normal”, finalizou.

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_