BUSCAR NOTÍCIA

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_

Covid-19: Sem anuência dos atletas, Santos realiza redução de 70% do salário dos jogadores

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest
O zagueiro Lucas Veríssimo comemora o gol da vitória por 1 a 0 do Santos sobre o Delfin (EQU), pela Libertadores - Crédito: Ivan Storti

O zagueiro Lucas Veríssimo comemora o gol da vitória por 1 a 0 do Santos sobre o Delfín (EQU), pela Libertadores – Crédito: Ivan Storti

Da Redação com Agência Brasil
Santos, SP, 14 de maio de 2020

Mesmo sem acordo com os funcionários, o Santos optou por reduzir os salários em 70% daqueles que ganham mais de R$ 6 mil. Contudo, a direção do Peixe desmentiu o fato nesta quinta-feira (14) e nega que tenha tomado tal atitude. No comunicado realizado ao funcionários, o Alvinegro Praiano toma como base a decisão do Sindicato dos Empregados de Clubes Esportivos e em Federações, Confederações e Academias Esportivas no Estado de São Paulo (Sindesporte) e do Sindicato dos Profissionais de Educação Física de São Paulo e Região (Sinpefesp).

“Ainda não houve desfecho nas negociações de redução salarial com os atletas, e que, independentemente deste fato, optou por tomar a decisão de efetuar o pagamento parcial de seus respectivos salários referentes ao mês de abril, sob a mesma política adotada para todos os demais funcionários do clube. As negociações com os atletas seguirão em andamento, com o intuito de encontrar um denominador comum entre as partes”, diz o clube em comunicado emitido nesta quinta-feira.

O time da Vila Belmiro também diz que, em razão da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), tem feito o possível para atender todo o quadro de funcionários, inclusive terceirizados e fornecedores da equipe. “Mesmo em estado de calamidade pública e com importantes receitas suspensas, aproximadamente 60% dos funcionários receberam seus salários integralmente.

A explicação não convenceu os jogadores, que não escondem a insatisfação. Vários deles publicaram, nas redes sociais, a posição do Sindicato dos Atletas de Futebol do Município de São Paulo (SIAFMSP). “Embora tenham negociado um valor de desconto com a direção [30% de seus salários] justamente por compreender a triste e atípica situação, a diretoria, na figura de seu presidente, não apenas não honrou com o combinado, descontando absurdos 70% dos vencimentos”, diz a nota do sindicato, que não abrange os jogadores santistas por ser de outra cidade.

A respectiva entidade sindical classifica como inadmissível a medida adotada pelo Santos em relação a redução de salários dos funcionários do clube. “É inadmissível que os atletas passem por esta situação ou qualquer outra semelhante, seja no município de São Paulo ou em outros, no masculino ou no feminino”, reitera a publicação do SIAFSM.

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_