BUSCAR NOTÍCIA

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_

Brasileirão: Com eliminação no Paulista, Santos anuncia demissão do português Jesualdo Ferreira

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest
O técnico português Jesualdo Ferreira não resistiu aos resultados obtidos neste primeiro semestre e acabou demitido do Santos - Crédito: Pedro Azevedo

Da Redação com Agência Brasil
Santos, SP, 05 de agosto de 2020

O Santos anunciou na tarde desta quarta-feira (5) a demissão do técnico português Jesualdo Ferreira do comando de sua equipe de futebol profissional. A demissão do treinador de 74 anos acontece após a eliminação do Santos do Campeonato Paulista, ainda nas quartas de final da competição, quando foi superado pela Ponte Preta.

“A direção do Santos Futebol Clube comunica que Jesualdo Ferreira não é mais treinador da equipe profissional. O clube agradece o extremo profissionalismo do técnico durante o tempo em que esteve no comando do Peixe e deseja sorte na continuidade de sua carreira”, diz a nota divulgada pela equipe paulista.

Desde o retorno das competições, após a paralisação causada pela pandemia do novo coronavírus (covid-19), a equipe da Vila Belmiro não venceu. Foram duas derrotas (Novo Horizontino e Ponte Preta) e um empate (Santo André), todos pelo Paulista. Agora, o Santos corre para buscar um substituto para o português, pois tem estreia marcada no Campeonato Brasileiro já no próximo domingo (9) a partir das 16h (horário de Brasília).

Em função da forte crise financeira que assola o Peixe, tanto o goleiro Everson quanto o atacante Eduardo Sasha anunciaram o ingresso na Justiça do Trabalho para romper o contrato com o Santos. Em comunicado divulgado à imprensa e publicado no Instagram pela assessoria do atleta, Sasha revela que a decisão de acionar a Justiça ocorreu devido à falta de pagamento de parte dos vencimentos e de recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

“Fomos comunicados que teríamos um desconto de 30% em nossos salários, por conta da pandemia. Nós, jogadores, estávamos dispostos a aceitar, porque sabíamos da situação que o mundo estava vivendo. Porém, faltando dois dias para o pagamento, fomos comunicados que teria um corte de 70% nos salários, não houve nenhuma explicação”, afirmou o atacante à época.

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_