BUSCAR NOTÍCIA

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_

Justiça: Após quase 6 meses preso no Paraguai, Ronaldinho Gaúcho chega ao Rio de Janeiro (RJ) com seu irmão Assis

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest
O ex-atleta Ronaldinho Gaúcho desembarca no Rio de Janeiro (RJ) depois de quase 6 meses preso no Paraguai por porte de passaporte falso - Crédito: Ricardo Moraes

Da Redação com Agência Brasil
Rio de Janeiro, RJ, 26 de agosto de 2020

O ex-jogador Ronaldinho Gaúcho chegou ao Rio de Janeiro (RJ) na tarde desta terça-feira (25), horas após ser liberado pela Justiça do Paraguai, onde permaneceu detido por cinco meses depois de ser acusado de usar um passaporte adulterado. O ex-atleta de Grêmio, Flamengo, Atlético (MG) e Barcelona (ESP) deixou o hotel no qual estava hospedado desde abril em Assunção (PAR), rumo a capital carioca em um voo particular com seu irmão Roberto de Assis, segundo as autoridades paraguaias.

Para que pudesse deixar o país vizinho, ele teve de pagar multa de US$ 90 mil [aproximadamente R$ 1,1 milhão]. Horas antes, em seu perfil do Instagram, o ex-jogador agradeceu seu advogado brasileiro e a equipe de profissionais que o assessorou no Paraguai, além de alguns fãs que lhe deram presentes. Ele também publicou uma foto com o ex-zagueiro da seleção paraguaia Carlos Gamarra. O avião deixou a capital paraguaia por volta das 13h40 e chegou ao Rio de Janeiro em torno de 16h40.

A chegada ao Brasil fecha um capítulo turbulento na vida do carismático jogador, que ajudou o Brasil a conquistar a Copa do Mundo de 2002. Ele foi preso em 6 de março com seu irmão e empresário Roberto de Assis quando tentavam entrar no Paraguai com passaportes paraguaios adulterados. Os irmãos passaram 32 dias detidos em um quartel da polícia junto com traficantes de drogas e políticos corruptos, antes de pagarem fiança de 1,6 milhão de dólares para terem direito à prisão domiciliar, que foi cumprida em um hotel.

O juiz Gustavo Amarilla concordou na segunda-feira (24) com uma “suspensão condicional” das acusações, efetivamente isentando o jogador de qualquer responsabilidade pelo crime. Mas ordenou que ele pagasse 90 mil dólares, que serão doados a organizações de caridade. O irmão de Ronaldinho recebeu uma pena suspensa de 2 anos, depois que o juiz descobriu que ele havia solicitado os documentos fraudulentos.

O magistrado disse que Ronaldinho, de 40 anos, que brilhou com as camisas de Paris Saint-Germain (FRA), Barcelona (ESP) e Milan (ITA), pode circular livremente pelo mundo, e só precisava avisar o tribunal caso mude de endereço fixo no Rio de Janeiro (RJ). Segundo o documento da Justiça paraguaia que autorizava o retorno deles ao País, solicitava que os tripulantes seguissem as normas sanitárias para combate e prevenção ao Covid-19.

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PUBLICIDADE

VEJA TAMBÉM_