Copa do Mundo: Cristiano Ronaldo marca três vezes e dita o ritmo de Portugal no empate com a Espanha

Melhor jogador do mundo cinco vezes (2008, 2013, 2014, 2016 e 2017), o craque português fez todos os gols da sua seleção no espetacular 3 a 3 diante da Espanha, nesta quinta-feira (15/6), em Sochi, pelo Grupo B do Mundial

Da Redação
Sochi, RUS, 15 de junho de 2018

Acima de tudo foi uma partida fantástica. Sob todos os aspectos. Duas seleções com características diferentes. Portugal, sem tanta qualidade, dependendo apenas do craque Cristiano Ronaldo, o melhor do mundo. A Espanha driblando a troca de treinador, com a saída Lopetegui e a chegada de Hierro, mas com trabalho coletivo fantástico. E o empate por 3 a 3, nesta quinta-feira (15/6), finalizando a primeira rodada do Grupo B da Copa do Mundo da Rússia, brindou o mundo inteiro com espetáculo de alto nível.

Cristiano Ronaldo, cobrando pênalti, abriu o placar. Diego Costa empatou. Cristiano Ronaldo, contando com a colaboração do goleiro De Gea, fez 2 a 1 e finalizou o primeiro tempo. Diego Costa, outra vez, empatou no início da etapa final. E Nacho virou o placar para a Espanha. Porém, aos 42 minutos, em cobrança de falta genial, Cristiano Ronaldo fez 3 a 3.

Por incrível que possa parecer, o Irã, que venceu Marrocos por 1 a 0, é o líder do Grupo B, com três gols. Portugal e Espanha aparecem com um. Marrocos não tem nada.

Além de já ser o artilheiro da Copa do Mundo de 2018, com três gols, Cristiano Ronaldo – eleito cinco vezes o melhor jogador do mundo por cinco (2008, 2013, 2014, 2016 e 2017) – alcançou recordes por Portugal e no Mundial. O primeiro deles foi igualar Pelé (1958, 1962, 1966 e 1970) e os alemães Uwe Seeler (1958, 1962, 1966 e 1970) e Klose (2002, 2006, 2010 e 2014), fazendo gols em quatro Copas diferentes.

Cristiano Ronaldo virou o segundo maior artilheiro de seleções na história do futebol, com 84 gols. Ele igualou a marca da húngaro Puskas e está atrás apenas do iraniano Ali Daei, que marcou 109 gols. Com sete gols em Copas, o melhor do mundo chegou a ser o segundo maior artilheiro de Portugal na competição, atrás apenas de Eusébio, autor de nove gols em 1966.

Em campo, nesta quinta-feira, Cristiano Ronaldo demorou apenas dois minutos para em jogada individual sofrer pênalti de Nacho. Aos três, ele cobrou com perfeição e fez 1 a 0 para Portugal. O empate da Espanha veio em belo gol, aos 22, quando o brasileiro naturalizado espanhol Diego Costa se livrou do zagueiro Pepe, brasileiro naturalizado português, o deslocando com o braço, driblou com quis o zagueiro José Fonte, e bateu forte e rasteiro 1 a 1.

Já aos 43, em bola esticada da defesa para o ataque, Cristiano Ronaldo arriscou chute forte de canhota, de fora da área, e o goleiro De Gea engoliu tremendo peru: 2 a 1 para Portugal.

Na etapa final, a Espanha cresceu muito em campo. E Portugal, sem tanta qualidade técnica, recuou em demasia. E a seleção espanhola chegou ao empate aos nove minutos, em jogada ensaiada. David Silva cobrou falta no segundo pau, Busquets desviou a bola para dentro da área e Diego Costa, outra vez, deixou tudo igual: 2 a 2.

A virada da Espanha aconteceu logo em seguida. Aos 12 minutos, Nacho, de fora da área, arriscou belo chute, a bola explodiu na trave e foi morrer no fundo da rede. Outro lindo gol: 3 a 2.

Mas, quando tudo parecia perdido, a Espanha era melhor em campo, e o jogo caminhava para o fim, Cristiano Ronaldo arriscou jogada individual próximo da área e foi derrubado. Falta, que o melhor do mundo partiu para a cobrança, aos 42 minutos, e a mandou no ângulo. Outro golaço: 3 a 3!

FICHA TÉCNICA

PORTUGAL 3 X 3 ESPANHA

Estádio Olímpico de Sochi
Árbitro: Gianluca Rocchi (Itália)
Gols: Cristiano Ronaldo, aos 3 e 43; e Diego Costa, aos 22 minutos do primeiro tempo. Diego Costa, aos 9; Nacho, aos 12; e Cristiano Ronaldo, aos 42 minutos do segundo tempo

PORTUGAL
Rui Patrício; Cédric Soares, Pepe, José Fonte e Raphael Guerreiro; Willian Carvalho, João Moutinho, Bruno Fernandes (João Mario) e Bernardo Silva (Quaresma); Gonçalo Guedes (André Silva) e Cristiano Ronaldo
Técnico: Carlos Queiroz

ESPANHA
De Gea; Nacho, Pique, Sérgio Ramos e Jordi Alba; Busquets, Koke e Iniesta (Thiago Alcântara) e David Silva (Lucas Vazquez); Diego Costa (Aspas) e Isco
Técnico: Fernando Hierro