Especial: Fã de “São” Marcos, Daniele Alves sonha em conhecer a nova casa palmeirense

A advogada, de 30 anos, ainda não teve a oportunidade de acompanhar um jogo sequer do Palmeiras na Arena Allianz Parque

Da Redação
São Paulo, SP, 28 de agosto de 2017

Palmeirense declaradíssima e fã de “São” Marcos, a advogada Daniele Alves, 30 anos, afirma ter o sonho de acompanhar uma partida do Palmeiras na Arena Allianz Parque, em São Paulo (SP), pela primeira vez. Para ela torcer para o Alviverde de Parque Antártica é uma paixão inexplicável, que herdou de seu pai ainda nos primeiros anos de vida e cativada a cada duelo que acompanhava pelas telinhas.

“O Palmeiras pra mim é muito mais que um time ou a representatividade de um esporte. Ser palmeirense é algo de essência, uma paixão inexplicável e sentida sempre, não apenas a cada título ou vitória , mas em toda uma história de vida. Conheci o Palmeiras muito novinha através do meu pai, que era um palmeirense apaixonado, colecionador, muito ligado ao time”, explicou a advogada.

Além de destacar os motivos pelo qual destina sua torcida para a equipe do bairro das Perdizes, zona oeste de São Paulo (SP), ela, que é fã declarada do ex-goleiro Marcos, herói do Palmeiras na conquista da Copa Libertadores de 1999, ela espera realizar o sonho de conhecer a estrutura e assistir a um jogo do Alviverde na Arena Allianz Parque, que foi inaugurada em novembro de 2014.

“(Eu já acompanhei) sim. Porém, no Allianz (Parque) ainda não fui. Estou louca pra conhecer. O estádio é lindo e de uma estrutura fantástica”, disse. Sobre seu ídolo, ela destacou o ex-arqueiro palmeirense. “Creio que o Marcos não seja apenas um ídolo para mim ou a torcida do Palmeiras, mas um paradigma de excelente profissional e pessoa. Ele é fora do comum! Um jogador com tanta raça e tanto amor ao time merece toda a admiração”, explicou.

Mesmo “devota” do Palmeiras, Daniele ressaltou que apesar do apoio incondicional, não suporta ver o time atuando abaixo da expectativa ou de forma insatisfatória. A mesma também revelou que já chegou a lamentar entre os amigos em sala de aula a sua insatisfação com a perda de um determinado título.

“Fico brava quando o Palmeiras não joga bem, obviamente, mas sou tão torcedora que em todos os momentos estou junto ao meu time. Tenho um fato engraçado , na época de escola ainda, me lembro de estar em aula e o Palmeiras perder a final de um campeonato e eu cair no choro e os meninos me zoarem muito. Foi marcante”, concluiu.