Especial: Série A do Brasileiro é a 6° maior em receitas de matchday, diz estudo

Taxa de ocupação nos estádios brasileiros em dias de jogos é de apenas 43%. Em comparação números na Inglaterra atingem 99% da taxa de ocupação.

João Rafael Pinheiro
Guarulhos,SP, 28 de fevereiro de 2019

Segundo estudo da Sports Value, empresa especializada em marketing esportivo, divulgado nesta terça (26). A análise envolve estudos sobre as ligas e os times com maiores faturamentos em matchday do esporte global.

A Série A do Campeonato Brasileiro é a sexta maior receita do mundo, no quesito do futebol. Visto que isso não se encaixa, as ligas de outras esportes americanos que batem em qualquer liga de futebol existente. Para se ter uma comparação, o público levado pelos clubes da Série A em 2018 foram em torno de 7 milhões de público total em 380 jogos. Com o mesmo número de jogos está a Premier League, da Inglaterra, no entanto o público é o dobro e a taxa de ocupação no estádio é de 99%. No Brasil, 43%. Na Major League Baseball onde se joga 81 vezes em casa, o público total gira em torno de 69.625.244, neste quesito. No Brasil, é apenas o 13°.

Sobre o match day percebe-se a discrepância entre os clubes brasileiros e europeus. Pois a prática ainda não consegue se sair bem com os clubes brasileiros e os números ainda são muito baixos. Os serviços prestados são limitados, e mesmo com todo o investimento nos estádios para a Copa do Mundo de 2014 – mais de R$ 9 bilhões.

A Sports Value ainda traz os dados de 16 clubes brasileiros que fizeram o matchday e mostra que Palmeiras e Flamengo lideram com folga – já que são os times com maior investimento no mercado de jogadores – entretanto esse dado não justifica a eficácia do matchday dessas equipes. O Verdão realizou 34 contra 29, do Rubro-Negro carioca. O Palmeiras conseguiu movimentar uma média de público acima dos 32 mil com taxa de ocupação de 76%. Se os números são altos entre essas equipes, há também as que não conseguem muita coisa.

Exemplo do Botafogo, Athlético e Fluminense que possuem taxa de menos de 30% de ocupação. O Tricolor carioca é o pior de todos os citados, com apenas 19% em 5 matchdays e uma média de menos de 15 mil de público.
Contudo, o Brasil oferece muito espaço para crescer neste meio. O que pode render lucros aos clubes, diante de que isso fosse positivo, o Brasil estaria no Top 3.