Estados Unidos: Dagoberto fecha com equipe norte-americana e joga pela primeira vez fora do País

Atacante assinou com o San Francisco Deltas por seis meses, com possibilidade de renovação por dois anos

Da Redação
San Francisco, EUA, 07 de julho de 2017

Depois de construir uma carreira vitoriosa no Brasil, o atacante Dagoberto, 34 anos, está preparado para jogar fora do país pela primeira vez. O atleta assinou com o San Francisco Deltas, dos Estados Unidos, equipe que disputa a NASL (North America Soccer League). O contrato do brasileiro será de 6 meses, com possibilidade de ampliação por um período de dois anos.

Feliz com o acerto, Dagoberto comemorou a chance de viver sua primeira experiência no exterior. “Estou muito motivado porque um dos meus projetos na carreira era jogar fora do Brasil. Escolhemos os Estados Unidos porque é um país com uma excelente qualidade de vida para a minha família e onde os meus filhos poderão estudar e aprender o idioma. Além disso, o futebol está crescendo muito por aqui e o nível está cada vez melhor”, explicou o atacante.

Tido como uma dos clubes mais inovadores dos Estados Unidos, o San Francisco Deltas chamou a atenção da mídia americana muito antes de entrar em campo. Fundado no final de 2015, a direção da equipe conseguiu engajar no seu plano de popularização inúmeros políticos, a comunidade local e alguns investidores de diversas empresas da região (que abriga as principais companhias de tecnologia do mundo).

Em 2017, a nova equipe de Dagoberto está disputando a NASL pela primeira vez e ocupa a vice-liderança. Antes de assinar com o San Francisco Deltas, Dagoberto jogou por grandes times do Brasil. Revelado pelo Atlético Paranaense, atuou também por São Paulo, Internacional, Cruzeiro, Vasco e Vitória, time pelo qual entrou em campo pela última vez, em agosto de 2016.

Dagoberto é o maior Campeão Brasileiro ainda em atividade no futebol, considerando apenas os campeonatos a partir de 1971. Ao todo, o paranaense tem cinco conquistas do nacional (2001, 2007, 2008, 2013 e 2014), recorde igualado apenas pelos ex-atletas Zinho e Andrade (Andrade tem seis, mas um foi como treinador). Ele ainda ostenta na sua galeria de troféus os campeonatos Carioca (2015), Gaúcho (2012), Mineiro (2014) e Paranaense (2005 e 2001). Com a camisa da Seleção Brasileira, o atleta levou o Mundial Sub-20, em 2003.