Libertadores: Hyoran curte a invencibilidade de 29 jogos pelo Palmeiras, mas rejeita o rótulo de talismã

Ele não foi inscrito entre os 28 jogadores que disputaram o Campeonato Paulista. E nem por isso desanimou. Seguiu trabalhando para ser importante ao técnico Felipão no torneio sul-americano e vem mostrando serviço sempre quando entra em campo

O ex-jogador da Chapecoense vibra com a fase, mas prefere ressaltar a força do elenco do Verdão

Da Redação
São Paulo, SP, 17 de abril de 2019

Autor de um dos gols na vitória por 3 a 0 sobre o Junior Barranquilla-COL, no Allianz Parque, em duelo válido pela fase de grupos da Libertadores, Hyoran coleciona números expressivos com a camisa do Palmeiras. Além de ter 100% de aproveitamento em jogos da competição internacional (são oito vitórias em oito duelos), o camisa 28 está invicto há 29 partidas – são 22 triunfos e sete empates, sendo que o último revés aconteceu no dia 30 de maio de 2018, diante do Cruzeiro, fora de casa, pelo Campeonato Brasileiro.

Apesar do ótimo histórico, o jogador de 25 anos prefere afastar o rótulo de talismã do Verdão. E espera novas oportunidades do técnico Luiz Felipe Scolari.

“É um dado legal, mas não tem esse negócio de talismã e eu nem quero que tenha. É fruto do que conquistamos em grupo. Lógico que o retrospecto é muito bom e, se quiserem, vocês podem mostrar para o Felipão (risos). Mas essa questão de talismã eu deixo de lado, não tem nada a ver. As conquistas que tive foram porque o grupo conseguiu´´, disse o jovem, destacando também a sua sequência vitoriosa pela Libertadores.

“Sou abençoado por ter conseguido ganhar em todos os jogos que participei da Libertadores. Mas não foi o Hyoran 100%, foi o Palmeiras 100%. É bom retrospecto, mas sozinho eu não conseguiria. Os méritos não são meus, mas de todos nós´´, afirmou.

Novamente em evidência no Palmeiras, Hyoran revelou a conversa que teve com o técnico Luiz Felipe Scolari após não ser inscrito no Campeonato Paulista desta temporada.

“Eu estou feliz com meu momento, mais uma vez eu tive tempo a mais de preparação. Devido à lista do Paulista ser mais enxuta, eu acabei não sendo inscrito e continuei trabalhando da mesma forma como sempre trabalhei. Quando eu falei com o Felipão, ele disse que eu seria importante e que eu seria utilizado na Libertadores. Fiquei feliz por ter correspondido e feito um gol na última partida. Quero ajudar ainda mais para continuar tendo momentos felizes no Palmeiras´´, frisou o atleta, que conta com o apoio do elenco para a sua evolução dentro e fora de campo.

“Graças a Deus eu sou querido por todos, todos veem que eu me dedico no dia a dia. O Felipão gosta de me chamar de guri, então eu acabei virando o guri do grupo. As brincadeiras são mais nesse sentido. A brincadeira é legal e sadia. Isso deixa o grupo unido e feliz para desempenhar bem o que o Felipão pede´´, concluiu o meia.

Crédito da foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras – Fonte: assessoria de imprensa do Palmeiras

Comentários

avatar
  Subscribe  
Notify of