Libertadores: Renato admite atuação apática do Grêmio na derrota em casa para o Libertad (PAR)

Duas partidas sem vitórias! Essa é a campanha do Tricolor gaúcho no Grupo H, o que traz preocupação para a torcida em relação a classificação para as quartas de final. Pior foi ter perdido em casa, para o time paraguaio por 1 a 0, na terça-feira

Da Redação
Porto Alegre, RS, 13 de março de 2019

Não é normal o Grêmio ser apático, especialmente jogando dentro de casa. Muito menos perder e não merecer, pelo desempenho em campo, sequer chegar ao empate. Foi isso que aconteceu na última terça-feira (12/3), quando o Tricolor gaúcho apanhou do Libertad por 1 a 0, pelo Grupo H, e ficou em situação delicada na tabela de classificação. Por isso, a equipe deixou o campo debaixo de muitas vaias. E merecidas, de acordo com os jogadores e o técnico Renato Gaúcho.

“O Grêmio não apareceu hoje em campo. Ao longo da partida tentamos modificar uma coisa ou outra, mas alguma peças não estiveram bem. Não tiramos o mérito do adversário, que marcou muito bem, mas já pegamos equipe superiores ao Libertad e furamos o bloqueio. Eles jogaram por uma bola e acharam um contra-ataque. O Grêmio não tem só um de jogo, mas tem dia que é noite´´, lamentou Renato.

O próximo jogo do Grêmio pela Libertadores será somente no dia 4 de abril, em Santiago, diante do Universid Católica, quando Renato e seus comandados precisarão da vitória para voltarem aq fazer contas pela classificação às oitavas de final. Mas agora o pensamento ficará voltado para domingo (17), quando o Tricolor encara eterno rival Internacional, às 19 horas, na Arena, pelo Campeonato Gaúcho.

“Infelizmente não tivemos boa apresentação, não furamos o bloqueio do adversário. Tivemos bons e maus momentos. Tentamos mudar, reagir, buscar o empate e não conseguimos. Não é o fim do mundo. Estamos tristes, mas confio na capacidade de reação deste grupo. Vamos corrigir o que fizemos errado e vida que segue´´, disse o comandante gremista.

Renato, como de costuma, não citou nomes quando criticou o rendimento de alguns jogadores. Preferiu falar que poderia fazer mais de três substituições se fosse permitido. E lamentou que as entradas de André (Felipe Vizeu), Jean Pyerre (Maicon) e Diego Tardelli (Marinho) não tiveram o êxito esperado. Sem contar que Luan, Everton e até Geromel não conseguiram brilhar.

“Sempre coloco o grupo e não fala de atuação individual. Sei as peças que não funcionaram bem e conversarei com eles´´, avisou o treinador.