Mineiro: Em clássico empatado entre Cruzeiro e Atlético (MG), arbitragem sai como destaque

Presidente Galo disparou contra a arbitragem após o fim da partida, devido a marcações de pênaltis no clássico

João Rafael Pinheiro
Da redação, 27 de janeiro de 2019

Pra quem preferiu o clássico, ao Tutu de feijão com carne de panela, viu um Cruzeiro e Atlético (MG) com empate no Mineirão nesta manhã de domingo (27). O 1 a 1 com dois gols de pênalti foi o que mostrou as equipes aos torcedores da Raposa, os únicos presentes. Em resumo, Fred marcou para o Cruzeiro em um pênalti onde o camisa 9 sofreu por Igor Rabello. E depois, Dedé perder o controle da bola e pisar no calcanhar de Chará. Fábio Santos rolou no meio do gol e decretou o empate.

O que chamou a atenção foi a arbitragem da partida, já que cada árbitro marcou um pênalti. Não é loucura. Pois o árbitro Wander Alves sentiu lesão na coxa, e teve que ser substituído aos 18 minutos da segunda etapa. Em seu lugar entrou Ronei Cândido Alves.

Este foi o tema do Presidente do Atlético (MG) após a partida na entrevista coletiva. Antes do treinador Levir Culpi falar com os jornalistas, Sérgio Sette Câmara, falou da sua indignação com o quarteto de arbitragem do clássico.
Em resumo, o Sette Câmara alegou uma “bagunça” na Federação Mineira de Futebol, além de apontar o nome de Itair Machado, vice-presidente de futebol do Cruzeiro. No qual, a federação estaria se “borrando de medo” para o cartola.

Sobre a arbitragem, o presidente do Galo aponta que todas as ocorrências e o que aconteceu no clássico mineiro se decorrem das declarações do cartola do Cruzeiro. “Hoje tivemos uma arbitragem horrorosa, tendenciosa, que nos prejudicou e deixou de nos dar um pênalti no Igor Rabello, e marcando um pênalti inexistente (sofrido por Fred). Mas o árbitro já havia se machucado, mas ficou em campo até marcar este pênalti”.

Além disso, Sette Câmara cobra por diversas respostas sobre o dirigente do rival, tais como a transferência de Fred do Galo para a Raposa. Na conclusão de sua fala, o presidente afirmou e reforçou que não quer que os jogos sejam apitados sobre o signo do medo.

O Cruzeiro volta a campo no próximo domingo (03) contra o Vila Nova (MG). A Raposa é o líder do Mineiro com 7 pontos. Já o Galo é o terceiro com 4 pontos, e encara na próxima rodada o Guarani (MG) no sábado (02).