Opinião: Silas assume o comando do São Bento, e Sérgio Soares é o novo treinador do São Bernardo

A dança dos treinadores segue quente no futebol paulista. Se juntarmos as três divisões (Séries A1, A2 e A3), em seis rodadas disputadas, já tivemos a troca de 11 técnicos. As últimas mudanças aconteceram em Sorocaba e São Bernardo do Campo

Coluna Futebol Caipira, por Luiz Ademar
São Paulo, SP, 11 de fevereiro de 2019

Não perca a conta amigos torcedores, que são apaixonados pelo futebol e têm carinho especial pelos clubes do interior! A dança dos treinadores segue a mil por hora, apesar de acompanharmos apenas seis rodadas disputadas nas Séries A1 (Paulistão), A2 (Segunda Divisão) e A3 (Terceira Divisão). No Brasil, a maioria, curte apenas o resultado imediato. Se venceu, o clube e o treinador são maiorais. Se perdeu, e mais de uma seguida, claro, a diretoria contratou mal, a equipe é fraca e o grande culpado é o chefe da comissão técnica.

No último final de semana tivemos mais dois exemplos dessa triste realidade no futebol brasileiro. No Paulistão, o primeiro técnico a cair, na semana passada, foi Mazola Júnior, da Ponte Preta, torcedor apaixonado na Macaca, morador em Campinas, e que ficou apenas cinco rodadas, isso mesmo, cinco jogos e perdeu o emprego para a contratação de Jorginho.

E, no domingo (10/2), foi a vez do São Bento demitir o técnico Marquinhos Santos. Sem perder tempo, nesta segunda-feira (11), a diretoria do Azulão de Sorocaba anunciou a contratação de Silas para ocupar a vaga até o final da temporada de 2019.

Curiosamente, Silas iniciou a temporada comandando o Tubarão, de Santa Catarina, que tinha como grande objetivo fazer planejamento adequado para disputar a Série D do Campeonato Brasileiro, no segundo semestre. Mas bastaram alguns tropeços no Campeonato Catarinense, onde o clube é apenas coadjuvante, para o treinador ser demitido. E dias depois ser contratado pelo São Bento. É o mundo da bola!

Quem também demitiu no último domingo foi o São Bernardo, que iniciou a pré-temporada contratando Alberto Félix, aquele mesmo grande jogador, camisa 10 do Bragantino na década de 90. Ele fez todos os treinamentos, mas sequer iniciou a Segunda Divisão do Campeonato Paulista. Motivo? Foi demitido porque a diretoria do Tigre do Grande ABC fez parceria com o patrocinador do Nacional, da Capital, e trouxe seus jogadores e a sua comissão técnica, capitaneada por Wilson Júnior.

Mas o São Bernardo não conseguiu entrar no G8, passou seis jogos sem vencer, com três empates e três derrotas, e o treinador foi demitido. E, nesta segunda-feira (11), chegou Sérgio Soares, que na temporada passada foi rebaixado com o Santo André e depois durou pouco no Londrina na Série B do Campeonato Brasileiro. E agora tenta dar a volta por cima no São Bernardo, um dos clubes que mais investiu em reforços em 2019.

“Estou de volta e com muita vontade de trabalhar. Fiquei feliz pelo convite da diretoria e aceitei prontamente. Sei da capacidade do grupo e faremos o melhor para que o time conquiste bons resultados´´, afirmou o novo treinador do Tigre do Grande ABC, antes mesmo de chegar ao estádio Primeiro de Maio.

A próxima partida do São Bernardo na Série A2 será nesta quarta-feira (13), às 19h30, contra o Juventus no Estádio Primeiro de Maio, em São Bernardo do Campo.

DANÇA DOS TREINADORES NO FUTEBOL PAULISTA

SÉRIE A1 (PAULISTÃO)

1) PONTE PRESTA – saiu Mazola Júnior e chegou Jorginho
2) SÃO BENTO – saiu Marquinhos Santos e chegou Silas

SÉRIE A2 (SEGUNDA DIVISÃO)

1) SERTÃOZINHO – saiu Cléber Gaúcho e chegou José Carlos Serrão
2) NACIONAL – saiu Alan Aal e chegou Jorginho (Cantinflas)
3) PENAPOLENSE – saiu Thiago Oliveira e chegou Edison Só
4) SÃO BERNARDO – saiu Wilson Júnior e chegou Sérgio Soares

SÉRIE A3 (TERCEIRA DIVISÃO)

1) COMERCIAL – saiu Ricardo Costa e chegou Edson Vieira
2) OLÍMPIA – saiu Vitor Mosca e chegou Lucas Del Vechio
3) OLÍMPIA – saiu Lucas Del Vecchio e chegou Bira Arruda
4) EC SÃO BERNARDO – saiu Sandro Sargentim e chegou Galego
5) SÃO CARLOS – saiu Omar Curi e chegou Carlinhos Alves