Paulistão: Ituano empata com a Ponte Preta em Campinas e agrada técnico Vinicius Bergantin

O empate por 1 a 1 diante da Macaca, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, foi considerado extremamente satisfatório para jogadores e comissão técnica do Galo de Itu. Afinal, a rodada ajudou e a equipe segue no G2 de sua chave

SP - PAULISTÌO/PONTE PRETA X ITUANO - ESPORTES - Ponte Preta e o Ituano, durante partida v‡lida pela 8» rodada do Campeonato Paulista 2019, realizada no est‡dio MoisŽs Lucarelli, em Campinas, S‹o Paulo, domingo (24). 24/02/19 - Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/ITUANO FC

Da Redação
Itu, SP, 25 de fevereiro de 2019

Ituano e Ponte Preta empataram em 1 a 1 no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, em jogo tenso e intenso. Embora não seja dérbi, este confronto que completa 30 anos em julho, sempre traz na lembrança dos torcedores duas decisões de segunda divisão. Em 1989, ainda na época da Divisão Intermediária, quando o FAI venceu no Novelli e ficou com o título. Os dois clubes subiram para a Primeira Divisão. A outra disputa foi em 1997, quando o Ituano venceu os dois jogos e eliminou a Ponte do quadrangular final que determinou os dois clubes que subiram.

Agora, pela oitava rodada do Paulistão, com os dois times brigando pela classificação para a próxima fase não foi diferente. E o empate acabou agradando a todos.

“A Ponte começou num ritmo bastante forte. Nós tivemos dificuldades no início para acertar a marcação. Méritos deles que tem equipe de qualidade e aguerrida. Saímos com placar desfavorável no intervalo. No vestiário resgatamos esta história e voltamos mais agressivo tanto para marcar como para jogar e conseguimos igualar o jogo. Mesmo sofrendo grande pressão no final, acredito que o empate tenha sido justo´´, comentou o técnico Vinicius Bergantin.

Com o ponto conquistado o Ituano se mantém na segunda posição do grupo, agora com 11 pontos. Com o empate do São Paulo, o Ituano não perde esta posição nesta rodada. Faltam quatro jogos para terminar a primeira fase.

Durante a semana o técnico Vinicius Bergantin disse ao elenco que todos os jogadores são importantes. E precisam estar prontos para a oportunidade. Neste jogo em Campinas, o treinador não pode contar com Peri (suspenso) e Claudinho (machucado). Faltando um hora para começar o jogo, ainda havia uma tensão no ar por causa de outros possíveis desfalques.

“Tínhamos duas dúvidas no aquecimento com Morato e Serrato. O futebol nos prega algumas peças. No final os dois deram resposta positiva. a surpresa ficou por conta do Alemão, que não pode iniciar a partida. Paciência! O jovem Gui Mendes fez boa partida. Teve maturidade, e ainda tem muito para crescer. O Ramon, que retornou de lesão, entrou bem e tem qualidade. Isso demonstra a força do nosso elenco. A própria entrada do Bassani ajudou na conquista do resultado. Por isso não podemos nos prender nos 11 atletas e sim no todo´´, explicou o técnico.

A Ponte começou pressionando e obrigou o goleiro Pegorari a trabalhar no primeiro tempo. O Ituano respondeu em duas finalizações de Morato e Gui Mendes. Numa tabela, Serrato deixou Correa na cara do goleiro Ivan, que se antecipou e evitou o gol que iria premiar os 20 anos de carreira do capitão. Foram poucos lances do Ituano contra Ponte mais perigosa e que chegou ao gol num bonito chute de fora da área de Matheus Vargas.

Após a conversa no vestiário do Moisés Lucarelli. o meia Bassani foi o primeiro a retornar para o segundo tempo e entrar na partida. E logo na primeira bola demonstrou que o Ituano veio diferente. Ele finalizou com perigo para defesa de Ivan. O empate saiu em seguida. Bassani tocou para Morato, que achou o espaço para acertar uma bomba. Ivan largou e a bola sobrou para Martinelli, que de primeira, com tranquilidade, colocou no alto: 1 a 1.

O Ituano cresceu na partida e passou a pressionar em busca da vitória, que daria a liderança do grupo. Bassani, cobrando falta, quase fez o segundo gol. Conforme o tempo foi passando, a pressão foi aumentando para quem jogava em casa. Os últimos 10 minutos, foram intensos por parte do time de Campinas. Os zagueiros Leo e Ricardo foram perfeitos e Pegorari evitou de todo jeito o segundo gol da Ponte.

“O final do jogo fugiu um pouco do que eu esperava. Ninguém gosta de sofrer pressão. Contra a Ponte no Moisés Lucarelli sempre será assim. Mesmo sem grande público. Se formos pensar numa forma justa, a Ponte teve o primeiro tempo, e o segundo tempo foi nosso. O resultado foi justo´´, finalizou Vinicius Bergantin, que terá apenas dois dias para recuperar os atletas. O próximo compromisso já será na quarta, em São Paulo, contra o Palmeiras.

 

Fonte: assessoria de imprensa do Ituano