Série A: Cássio admite que Corinthians precisa vencer o Flamengo para embalar na final da Copa do Brasil

A decisão na principal competição de mata-mata do Brasil acontecerá apenas na próxima semana. Por tudo isso, o paredão do gol corintiano pede concentração total para encarar o Rubro Negro da Gávea, sexta-feira (5/10), 21 horas, em Itaquera

Da Redação
São Paulo, SP, 2 de outubro de 2018

A final da Copa do Brasil, que começa na próxima semana, precisa ficar um pouco de lado. O objetivo do Corinthians agora é vencer o Flamengo, em casa, para melhorar a situação na tabela de classificação. Depois, com tranquilidade e otimismo, o Timão volta a sua atenção para o primeiro duelo decisivo diante do Cruzeiro, no Mineirão. A análise foi feita pelo experiente goleiro Cássio.

“Temos que pensar no próximo jogo. Estaremos na frente da nossa torcida. O que dá confiança são as vitórias. Nada melhor do que ganhar na sexta-feira (contra o Flamengo, no Brasileirão), que nos dará mais confiança ainda para o jogo de quarta-feira (Cruzeiro, final da Copa do Brasil´´, disse Cássio.

Após seis jogos à frente do Timão, o técnico Jair Ventura soma duas vitórias, três empates e apenas uma derrota, além de ter conseguido a classificação para a final da Copa do Brasil ao derrotar o Flamengo. Perguntado sobre o início de trabalho, o goleiro alvinegro não poupou elogios ao técnico corintiano.

“O Jair tem nos agregado muito, temos crescido muito. Ele nos ajudou a entender que temos que pagar um preço para conseguir resultado, abrir mão de algumas coisas em prol da equipe. O Jair resgatou isso, o que sempre foi no Corinthians, que é multicampeão. Às vezes as coisas não acontecem, mas não é por falta de vontade ou dedicação´´, falou o paredão do Timão.

Antes da entrevista coletiva realizada nesta terça-feira, o goleiro exibiu para os jornalistas a nova camisa 3 do Corinthians, em homenagem ao ex-piloto Ayrton Senna. Ao falar sobre o ídolo, Cássio lembrou o fato de usar o mesmo número do tricampeão da Formula 1.

“Eu era pequeno, mas lembro, vejo coisas sobre ele até hoje em dia. Ele já faleceu, mas continua sendo referência. Devia ter sido uma pessoa sensacional, super do bem. Ele era o 12, eu sou o 12, foi vitorioso, nós estamos sendo (risos). Além de grande corintiano, era respeitado no Brasil e no mundo. Vi outros ex-pilotos falando que ele foi o melhor de todos os tempos. O Senna deixou legado muito bonito, parabéns ao Corinthians novamente por tê-lo homenageado com essa camisa”, completou.

 

Fonte: assessoria de imprensa do Corinthians