Série B: Derrota da Ponte Preta, de virada, para o Atlético-GO esquenta a cabeça do técnico Doriva

Com portões fechados e jogando em Bragança Paulista, a Macaca apanhou do Dragão por 3 a 1, pela sexta rodada da Série B, e deixou o seu comandante irritado

Da Redação
Campinas, SP, 21 de maio de 2018

A derrota, de virada, por 3 a 1, para o Atlético Goianiense, no sábado (19/5), em Bragança Paulista, pela sexta rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, irritou o técnico Doriva. Para ele, a equipe não mostrou o comprometimento das partidas anteriores, e o resultado negativo foi consequência do futebol apresentado.

“Estávamos com o jogo controlado, tendo chances e tivemos um vacilo. No momento em que tomamos o gol de empate, o Atlético-GO cresceu e ficamos perdidos. Não conseguimos encaixar a marcação, ser eficientes e sofremos mais uma derrota. É lamentável. Temos que tirar lições o mais rápido possível, porque se temos ambição e sonhamos em buscar o acesso, passa por vitórias em casa e temos que saber nos impor mais, gerir o resultado criado, aumentar esse resultado durante a partida e minimizar as chances ao adversário´´, disse Doriva, que acrescentou.

“Em jogos da Série B temos que ser competitivo os 90 minutos. Não podemos afrouxar em nenhum momento e deixamos o jogo escapar das nossas mãos. O Atlético-GO foi voluntarioso, conseguiu o gol e quando conseguiu o segundo se defendeu e nós nos expusemos mais e tomamos o terceiro”, analisa o treinador, que prosseguiu na explicação sobre a segunda etapa.

“Fizemos as substituições para colocar sangue novo, criar força, mas infelizmente os atletas que entraram não conseguiram aumentar o nível de performance e o time não conseguiu criar chance. Não tivemos volume ofensivo com as substituições´´, lamentou.

O treinador também comentou sobre o fato de atuar sem a presença do torcedor, mas não quer se apoiar nesse fator para justificar resultados negativos.

“Prejudica porque o apoio do nosso torcedor encoraja, os atletas se sentem mais pressionados a fazerem grande partida. Não podemos dar essa desculpa e não quero usar essa muleta. Infelizmente sofremos outro revés. Derrota doída e acredito que tenha sido nossa pior partida no período em que estou aqui´´, revela o comandante, que chama a atenção dos seus comandados.

“Os jogos são difíceis de se vencer. Não tivemos a mesma concentração que tivemos nos últimos jogos. Vínhamos de quatro partidas com nível de concentração e performance boa, ainda que não tivemos vitórias em todos eles. No  sábado eu fiquei desapontado com o nosso rendimento. Sabemos que temos que buscar alternativas para jogos em casa, porque é inadmissível perdermos pontos preciosos. Teremos que pedalar ainda mais, buscar pontos fora, mas só vamos conseguir lutar pelo acesso vencendo em casa. Ficamos tristes, mas temos que reagir o mais rápido possível´´, completou Doriva.

 

 

Fonte: assessoria de imprensa da Ponte Preta