Série C: Operário e Cuiabá eliminam Bragantino e Botafogo-SP e são os finalistas da competição

Não tem clube paulista na final da Terceira Divisão do Campeonato Brasileiro. Operário, que levou a melhor em cima do Bragantino, nos pênaltis, e Cuiabá, que atropelou o Botafogo, em Ribeirão Preto, vão correr atrás do cobiçado título

Luiz Ademar (Blog do Futebol Caipira)
São Paulo, SP, 9 de setembro de 2018

Não tem clube paulista na final da Série C do Campeonato Brasileiro. No sábado (8/9), mesmo atuando no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, o Cuiabá atropelou o Botafogo com brilhante vitória por 3 a 0, após empate sem gols na Arena Pantanal, no jogo de ida. Já neste domingo (9), atuando em casa, o Operário-PR repetiu o placar do jogo disputado em Bragança Paulista e ficou no empate sem gols diante do Bragantino. Mas venceu nos pênaltis por 4 a 2 e se classificou.

Agora, Operário e Cuiabá farão dois jogos, em sistema de ida e volta, para saber quem será o campeão brasileiro da Série C. As duas equipes, além de Bragantino e Botafogo-SP, conquistaram o acesso à Série B em 2018.

No sábado, mesmo fora de casa, com a torcida do Botafogo apoiando bastante, o Cuiabá abriu o placar logo aos três minutos, quando Danilo cruzou e Jenison marcou. Depois, apesar de ficar mais com a bola em busca do empate, a equipe da casa não conseguiu empatar. E ainda sofreu o segundo gol através de Danilo.

No segundo tempo, na base do tudo ou nada, o Botafogo se lançou desesperadamente ao ataque. Mas errou muito nas finalizações. E, aos 29 minutos, outra vez Jenison, em belo chute, matou o rival e decretou a goleada fora de casa.

Já neste domingo, em Ponta Grossa, em jogo parelho, Operário e Bragantino voltaram a empatar por 0 a 0. Porém, o Massa bruta reclamou muito por um gol anulado, feito por Marquinhos, no segundo tempo. Nos pênaltis, o goleiro Simão, do time da casa, brilhou defendendo as cobranças do meia Rafael Chorão e do zagueiro Gulherme Mattis. Já os seus cobradores nem precisaram fazer a quinta cobrança, pois marcaram as quatro primeiras: 4 a 2.